Asas de Flor

Poesia em seu coração

Textos


O amor habita naquele que se doa

Do lado de fora da janela há ruído do vento a soprar, não ouço, acordo, com o canto sonoro de uma ave que voa.
No céu, minha paz, minha vida; em minh’alma adulta, o desejo da altura.
Alicerçada na crença, “a fé remove montanhas”, no silêncio da madrugada, no meu quarto, entoo baixinho os meus salmos e as minhas orações.
Diante de Deus, ponho a vida, e assim, encontro alento temporal do espírito para suportar as agruras do dia.
Bruscas horas claras surgem, são horas do trabalho.
Alegre com a luz, levanto o corpo, e, subitamente, mostra-me um espelho a imagem que o meu ser tem: presença mística cristalizada no meu imaginário.
Humana - demais -, como quem do chão foi criada, tomo um banho, me ajeito, inconscientemente, deslizo nos lábios um batom terroso.
Abrindo a porta, saio. Um pouco mais madura.
Então, eu lanço, timidamente, para o Sol, um largo sorriso.
"Bom dia Sol!"
E ele, astro maior, brilha, inventando caminhos, fazendo a esperança se mostrar.
Minha missão hoje será, deixar o coração inquieto, ansioso, - mas tão cheio de paz -, se abrir direito, amar, do jeito que alguém precisar.

"Todos podemos nos doar sem nos tornamos vulgares"
Precioso complemento deixado pelo poeta José Coelho Fernandes
Matilde Diesel Borille
Enviado por Matilde Diesel Borille em 27/01/2018
Alterado em 27/01/2018


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras