Asas de Flor

Poesia em seu coração

Textos


Entardecer

É o entardecer de um sábado de amores.
Nuvens com brilho de neve pairam calmas sobre um velho celeiro de argila desolada.
Um par de rodas de carruagem de madeira clássica num campo de trigo verde deteriora-se.
No solo bem nutrido, apodrecem frutas, crescem plantas; uma Maravilha na cor branca, muda sua cor para violeta.
Folhas de Aspen, literalmente tremem, viram, na estreia da primeira flor nascida no espaço, a Natureza flertar com a perfeição.
Em tempos de rede, "ignorando a completude que o faz pó de areia na passagem imperiosa a qual damos o nome de vida", um homem eleva o olhar em encantamento. Uma imagem fantástica respinga beleza na sua visão, mostra o rosto de aço - muito aço -, do futuro prédio mais alto do mundo.
A Natureza é parte ali, a base da obra foi inspirada em folhas dobradas de plantas do deserto durante o seu crescimento "entrar ali será como pisar em  três pétalas".
E eu, agora que a brisa é uma carícia, sigo a pé rumo a um templo em forma da flor que é composta por bem mais que vinte e sete pétalas. Lá caminhar é um prazer e olhar o céu é uma necessidade de contemplar a beleza pura de um pairar que nunca se toca.


"O céu é parte da alma,
Que em silêncio comanda.
Nós sentimos a varanda,
Mas não tocamos em nada..."

*Belíssima interação! Minha gratidão ao poeta e mestre Jacó Filho.
 
Matilde Diesel Borille
Enviado por Matilde Diesel Borille em 23/01/2018
Alterado em 28/01/2018


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras