Asas de Flor

Poesia em seu coração

Textos


Beleza voadora

Inspirada pelo espírito sem limites
das flores brancas e dos céus azuis,
saí semeando canções no vento
e pensei ver uma borboleta,
tão interessante... e tão rara...
batendo asas transparentes
em torno de uma amoreira negra.
Tornei a olhar, e vi que era
difícil de vê-la a olho nu.
Vagando sob os céus,
eu procuro a  borboleta.
O inverno é demais para ela.
Uma vez que aspirou a doce fragrância
de flores brancas e de frutas frescas,
deveria reaparecer no meu jardim
e deslumbrar-me com sua beleza voadora.
Dessa vez eu faria mais e melhor
que apenas observá-la
através do olho de minha câmera fotográfica
e em traição capturá-la,
fixando-a numa amoreira de papel.
Eu a refletiria em versos,
fielmente, saindo do casulo,
as asas ainda amassadas e molhadas,
e passaria um bocado de tempo,
com meus olhos fixos nela,
para talvez contemplá-la,
num céu límpido e azul 
aparecendo e desaparecendo,
num feliz voo de acasalamento.
Retribuiria-lhe a graça e o encanto,
lembrando-me dela 
"tão interessante... e tão rara..."
a cada lindo dia de Primavera.
Matilde Diesel Borille
Enviado por Matilde Diesel Borille em 14/07/2017
Alterado em 15/07/2017


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras